5 maneiras de partilhar a Fé Católica com a família e amigos

Quando eu era um Evangélico na universidade, íamos passar algumas horas no campus e partilhar o Evangelho, com pessoas ao acaso. Era assustador. Eu chegava ao pé de alguém a beber café ou a ler o jomal e dizia, "Olá. Tudo bem? Posso fazer-te algumas perguntas? Não demora muito." E depois começávamos a fazer perguntas genéricas que levavam a conversas espirituais. Algumas vezes corria muito bem. Outra vezes nem tanto.

Eu tinha a impressão que as pessoas podiam simplesmente "ser salvas" por uma simples conversa. Claro, isso pode acontecer. Alguém pode milagrosamente entregar a sua vida a Cristo numa questão de minutos. A maior parte das vezes, no entanto, é um processo demorado. Mais importante ainda, acontece no contexto de uma relação.

Desde que me tomei Católico, a minha percepção de conversão e de disclpulado aprofundou-se. Já não vou ter mais com estranhos - mas ainda tento chegar aos outros numa base diária. Estou sempre à procura de maneiras de partilhar a Fé.

Gostava de vos encorajar a terem a intenção de partilhar a vossa fé. Aqui estão cinco dicas para ter em mente enquanto tentamos, em espírito de oração, fazer com que outros conheçam Jesus Cristo como Senhor e Rei dos Reis. E devo realçar que a oração é a base de todas as cinco dicas:

1. Sejam verdadeiros amigos dos outros. Alguém uma vez disse que temos que "Ganhar o direito a ser ouvidos." Querem deixar uma marca? Invistam nas outras pessoas. As pessoas sabem quando tentam manipulá-las ou usá-las. Eu sei quem são os meus amigos mais próximos. Eles sacrificam-se por mim e eu sacrifico-me por eles. Também sei que há pessoas na minha vida que tentam usar-me para alguma coisa. Não conseguirão ganhar o direito a ser ouvidos se não forem verdadeiros amigos. A melhor maneira de "ser ouvido" é ouvir os outros.

2. A vossa alma deve ser atraente. Podemos ser tentados a ser negativos e estar sempre a julgar "0 mundo" ou "a Igreja" ou "a vida". Isso apenas torna a vossa alma suja. É depressivo. Cheira mal. É como ter mau hálito. Podem ter boas coisas para dizer, mas ninguém aguenta estar ao pé de vocês. A vossa alma não reflecte a realidade que estão a tentar proclamar. Se não têm alegria e paz em Cristo não deviam tentar convencer os outros. Conveçam-se a vós mesmos primeiro !

3. Estejam prontos para explicar. Se vivem a Fé Católica, têm muito para explicar...
Porque é que vocês Católicos têm Jesus ainda na cruz? Porque é que têm imensos filhos? Porque é que dão tanta importância a Maria? Porque é que todos vivem a Quaresma? Porque é que os padres não se casam? Porque é que usam um escapulário? Porque é que vão à igreja mais do que uma vez por semana? Porque é que o Papa é importante? Têm que ser capazes de responder a estas questões de um modo factual e cativante. Têm que ser menos como o Spock e mais como o Chesterton. Sim, têm que ganhar as pessoas. Tornem a coisa interessante.

4. Dêem coisas. Eu trago comigo medalhas e dou-as. Há pouco tempo vi uma mulher a chorar no aeroporto. Dei-lhe uma medalha. Ela ficou tão agradecida. Parou de chorar e agradeceu-me.

Também deixo uma medalha com o empregado (acompanhada de uma grande gorjeta!). Se oiço pessoas num restaurante a falar de Cristo, posso aproximar-me e sorrir e dizer, "É bom ouvir pessoas a falar de Nosso Senhor. Deus vos abençoe." Sou muito sério no que toca à fé e quero que os outros saibam a alegria e a benção que é conhecer Cristo Jesus.

O meu melhor amigo, Jordan, é mesmo bom a dar Escapulários Castanhos às pessoas. Ficariam surpreendidos com quantas começam a usá-los! Podem fazer e dar terços e cruzes; Pagelas. Sejam criativos. Façam uma estratégia. Sempre que derem algo a outra pessoa, eles estarão mais abertos para ouvir o que têm para dizer. Se vem mesmo do coração, eles senti-lo-ão. O coração fala ao coração.

Conheço outra senhora que está sempre a dar livros e DVD's sobre santos e outros temas católicos. Que grande testemunho! A minha mulher deu uma vez no Natal um livro católico à sua irmã, e ela e o seu marido tornaram-se Católicos! A informação abriu o seu apetite para mais.

5. Sejam salgados. Cristo diz em Mateus 5,13: "Vós sois o sal da terra." Não percam esse "gosto" divino. Temos que manter o gosto. Perguntem-se a vós mesmos, "Sou um católico salgado?" Se não for o caso, mudem. Vou arranjar um livro de trabalho (mais tarde este ano) chamado Liturgia de Vida sobre como montar um plano espiritual para a vida. Talvez devesse chamá-lo: "Como ficar salgado e manter-se salgado." Até lá, peguem numa folha de papel e façam um plano.

ATENÇÃO: Podemos ser demasiado salgados!!! O sal faz a comida saber bem. Mas se puserem demasiado sal na comida, estraga-a. Não sejam demasiado salgados com a vossa Fé Católica. Não afastem as pessoas da Igreja Católica. Eu tenho culpa nisto. Já fui demasiado insistente, e arrependo-me verdadeiramento disso.

Temos que ser grandes chefes/cozinheiros. Temos que temperar o sabor. Não despejem o saleiro na vossa mensagem. As pessoas não vão comer a vossa comida!

Taylor Marshall (tradução de João Silveira, em: http://senzapagare.blogspot.pt/2013/06/5-maneiras-de-partilhar-fe-catolica-com.html